Resenha: Livro “O Cemitério”

Olá amigos, trago a vocês hoje uma breve resenha do livro “O Cemitério” do autor Stephen King. Que foi publicado e atualmente reimpresso pela Editora Suma (casa do KING no Brasil kkk). Desde já agradeço a editora por ter me enviado um exemplar para participar da leitura coletiva que ocorreu no mês de Maio. Queria muito, muito, muito ler esse livro e vocês foram maravilhosos enviando ele.

O livro terá como protagonista o jovem médico Louis Creed, que se muda de Chicago com a sua esposa e filhos para uma pequena cidade do Maine. Apostando na felicidade e vida tranquila em uma cidade de interior.

 

Explorando o terreno da sua nova casa, acaba descobrindo que logo ao lado existe um cemitério onde por gerações crianças alimentam o costume de enterrar seus animais de estimação. Porém, um pouco mais além daquele “inocente” cemitério existe um outro cemitério. Onde de acordo as lendas indígenas da região, o lugar possui terra amaldiçoada e deve ser evitado. Mas ainda assim por possuir promessas muito sedutoras, de tempos em tempos atraia a curiosidade do homem.

Inicialmente Louis Creed se diverte com todas as histórias, não sabendo que muito em breve a sua vida iria mudar drasticamente.

O Cemitério é um livro que irá se dividir em três partes. Na primeira parte e mais extensa, iremos conhecer Louis Creed, sua família e todos os outros personagens secundários que são fundamentais para o desenvolvimento da história. Descobriremos os pontos fracos e fortes desses personagens, como também iremos conhecer a fundo tudo sobre o tão fantasioso “Simiterio” de bichos. Porém como já diz o livro no término da primeira parte, a vida de Louis vai mudar COMPLETAMENTE a partir da segunda parte do livro. Assumo que quando iniciei a segunda parte me senti constantemente angustiado por todas as situações que estavam ocorrendo e pelo que o protagonista estava sendo induzido a fazer. Foi um momento do livro que para mim havia momentos que eu precisava parar alguns segundos, para respirar um pouco, beber uma água porque estava sendo sufocante pra mim ler todas aquelas situações.

O terceiro e último momento do livro a atmosfera fica bastante densa, pois é quando os pontos fantasiosos tomam forma e o protagonista chega no ápice da loucura proposto desde o início. Passei a perceber que muita coisa que estava ocorrendo ali meio que foi se encaixando como em um quebra cabeça, as situações foram sendo induzidas até chegar em combustão.

Após concluir a leitura deste livro, conclui que “O Cemitério” ele ultrapassa a proposta inicial do livro, que quando lemos o título já imaginando um livro de terror muito simples de se decifrar. Para mim não foi assim, o livro tem cenas densas típicas de filmes de terror (o que me agradou muito) mas ao mesmo tempo o livro trás uma grande reflexão em torno do significado da “morte” para nós e como digerimos essa certeza da vida, que é a morte.

É uma leitura forte e reflexiva, que vai te fazer viajar dentro daquele universo obscuro mas ao mesmo tempo se questionar sobre si mesmo. Para mim foi uma leitura que agregou bastante e que com certeza irei ler novamente futuramente, sei que irei poder lapidar novas interpretações deste livro.

Sobre suas adaptações , o filme de 1989 achei que a proposta dele se aproximou muito da obra real, trazendo personagens e falas muito fieis a trama original. O único erro do filme na minha opinião foi no final, onde algumas falas sairam da trama original, mas vejo isso como algo natural. Quando um livro ou quadrinho são adaptados eles precisam passar por auterações para poderem ser adaptar a plataforma, isso é natural. Porém sempre acho bacana quando vejo que houve a preocupação de seguir a cronologia original, roteiro e também a personalidade dos personagens. Para quem leu o livro, recomendo que dê uma chance para a adaptação de 1989. Pois para um filme produzido naquela época que não havia tanta tecnologia como hoje o filme cumpre muito bem o seu papel.

Já a adaptação do filme de 2019, na minha opinião deixou um pouco a desejar para quem estava esperando algo fiel a historia do livro. Essa adaptação se apropria dos conceitos principais do livro, mas ao mesmo tempo ela leva a história para um outro patamar. Tornando a história algo mais objetiva, sem tantas reflexões como vemos no livro ou até mesmo no primeiro filme. Tornando o filme mais mecanico e voltado pro entretenimento rapido. E quando paramos para pensar que atualmente, com mais tecnologia se pode fazer um filme fiel a historia original e com bem mais qualidade de imagem e efeitos do que um filme produzido nos anos 80, acaba sendo decepcionante ver todas as expectativas indo bueiro abaixo. Porém ao mesmo tempo vejo que a adatação de 2019 consegue surprir facilmente as necessidades de quem não leu o livro ainda, por ser uma historia mais objetiva. Porém apesar de seus pontos negativos a adaptação de 2019 não é para todo mal, visto que ela trás novamente uma história muito interessante para nossa atualidade.

A minha dica é que quem puder, leia o livro primeiro e após a leitura busque assistir ambos os filmes, eu fiz isso e foi muito produtivo pois pude fazer as comparações com todas as informações quentinhas na minha cabeça.

Mas e vocês, já leram este livro? pretendem ler? Já leram algum livro do KING? E que tipo de impressão vocês tem com relação a morte? Vamos fofocar.

 

Eduardo Mateus (@edu__mateus)
BLOG (@somaisumaleatorio)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s