Cosplay: a arte de interpretar personagens na vida real.

O post de hoje, é sobre um assunto que já foi tabu por muito tempo. Mas que atualmente tem sido uma pratica cada vez mas constante e aceita pela sociedade. Quem já ouviu falar em cosplays? Creio que todos que visitam blogs  voltados para assuntos Geek em algum momento já deve ter lido sobre esse termo, principalmente aqueles que já visitaram eventos de cultura japonesa, anime ou comics em geral. Nesse post irei falar um pouco sobre essa pratica, como também contarei com a colaboração de uma amiga que tem costume de criar cosplays para uso pessoal, que ira responder algumas perguntas sobre esse assunto.

Para quem não sabe, Cosplay é um termo designado para a prática lúdica de indivíduos (geralmente o publico jovem) que se disfarçam ou se fantasiam de personagens seja eles real (artista) ou ficcional (personagens de animes, jogos, filmes animados, quadrinhos), tentando interpretá-los da melhor forma. Essas pessoas que tem esse tipo de prática, são chamados de Cosplayers.

maxresdefault-700x3521

Embora muitos pensem que o termo Cosplay foi criado no continente asiático e a cultura Cosplay veio do Japão, isso é um grande engano. O primeiro cosplay foi no ano de 1939 durante a primeira Worldcon, onde Forrest J. Ackerman usou seu primeiro cosplay durante um evento. Desde então, tornou-se uma prática anual nas Worldcon, se estendendo para concursos e atrações destinadas apenas a esse publico. Os primeiros cosplays de animes e mangás registrados são superiores aos anos 70, nos Estados Unidos. Esse tipo de prática só foi surgi no Japão durante a década de 80, por meio de Nobuyuki Takahashi, que ficou surpreso com essa prática após visitar uma Worldcon e assim acabou incentivando a prática no Japão pelas revistas de Ficção Científica. Esse tipo de prática com o tempo tornou-se comum no Japão e passou a ser realizada com bastante frequência. No Japão os japoneses costumavam se caracterizar de personagens existentes em animes, mangás e videogames populares e com o tempo isso foi se estendendo para outras culturas. Mas foi no Japão onde esse tipo de costume se tornou mais frequente e famoso.

capa1

O termo Cosplay no Japão ficou mais famoso e ganhou força nos anos 90 com a popularização dos animes em todo o mundo, fazendo com que esse termo se tratasse de uma caracterização de personagens existentes em animes e mangás, enquanto que os primeiros cosplays que nasceram nos Estados Unidos baseiam-se também na criação de personagens próprios não somente aos que já existiam.

Fato é, esse tipo de cultura só vem evoluindo ainda mais ao passar dos anos com toda a tecnologia e meios de aperfeiçoar o seu Cosplay. E para muitos a prática de criar Cosplays deixou de ser apenas um hobby, mais também uma fonte de renda onde determinado indivíduo participa de eventos em diferentes cidades do país ou ate mesmo para fora mostrando a sua arte de recriar determinado personagem em cima do seu próprio corpo, independente do personagem ter pontos físicos parecidos com o indivíduo ou não.

A prática do Cosplay no Brasil tem crescido, concursos, feiras de cultura japonesa ou Comics são os principais lugares onde Cosplayers costumam frequentar e expor seus Cosplays nesses eventos eles podem participar tanto de competições quanto podem descontrair conversando com outras pessoas que também compartilham dessa prática, fugindo um pouco do cotidiano “padrão” e da seriedade do dia a dia. Afinal são nesses eventos que esses jovens acham lugares onde seu estilo e opinião vão ser aceitos, onde conseguem ser iguais e diferentes ao mesmo tempo.

  • Coelho Jr. (2007) afirma que as reuniões servem justamente para encurtar e flexibilizar essa distância entre as pessoas e para que haja uma renovação nas informações acumuladas.

Mas criar um Cosplay é algo que pede bastante responsabilidade afinal é necessário uma certa dedicação para que seu Cosplay fique fiel ao personagem que você está reproduzindo. Geralmente quem participa de eventos onde tem atividades para Cosplays, precisa se programar meses antes para criar uma roupa que seja o mais fiel possível a do personagem, além da roupa também tem outros pontos como cabelos, lentes e tudo que deixe a sua aparência mais fiel possível a do personagem. Para quem não sabe costurar é necessário contratar uma costureira particular onde ela possa produzir o que é necessário para você, dentro de determinado prazo. O mesmo vale para a compra de perucas, lentes e outros acessórios que muitas vezes não são fácil o acesso em lojas locais (varia muito da cidade que você mora). Sem dúvida a criação de Cosplayers também geram economia, afinal se parar para pensar é necessários costureiras (o) que saibam mexer com isso é necessário lojas locais ou online que forneçam materiais como perucas, lentes e acessórios. Como também fotógrafos que entendam do assunto para que fotografem nos eventos de uma forma que valorize seu trabalho, claro que para quem está começando não precisa de um fotografo particular, mas quem leva esse tipo de coisa a sério para sua carreira profissional é interessante que tenha um fotografo que não apenas seja um bom profissional, mas que também entenda do que se trata um evento desse tipo para que suas fotografias divulguem o seu trabalho da melhor forma.

a-bruxa1

Eventos de Comics e Animes é algo que tem crescido cada dia mais e se espalhado por toda parte e apesar de ainda existir uma parte da população que não conhece, que acham que é coisa de outro mundo o Cosplay cada dia mais tem se tornado algo natural e divertido.

Nosso blog com o intuito não apenas de dar nossa opinião, mas também de saber a opinião de quem tem o costume de criar Cosplays para participar de eventos do gênero. Resolvemos fazer um Quest de perguntas com a Beatriz Fischer (estudante de Biomedicina, que tem costume de criar Cosplays para seu uso pessoal em eventos do gênero), ela irá nós responder algumas perguntas simples, mas que serão bem interessantes para quem não conhece como funciona ou para quem tem interesse em criar seu Cosplay.

  • Quest

img

 

Creio que todo mundo que tem interesse em criar um Cosplay teve uma base, que acabou sendo motivadora para a criação do Cosplay, essa base pode ser um anime, mangá, filme, série ou ate mesmo outro indivíduo que já faz Cosplays a um tempo e acabou emitindo motivação para outras pessoas. O que te motivou a criar seu primeiro Cosplay, e o que você viu de diferente nisso?

Beatriz: Sempre gostei de usar roupas diferentes, mas raramente aparecia uma ocasião pra fazer isso, sabe? Então um dia eu vi fotos de algumas amigas que são cosplayers, aí me interessei pelo hobby. A diferença que vi no cosplay é que podemos usar roupas dos personagens que gostamos, algo bem mais elaborado na maioria das vezes, ao contrário de uma fantasia que usaríamos pra ir em uma festa carnavalesca, por exemplo.

E quando foi que você resolveu criar um Cosplay? Teve alguma dificuldade na criação dele ou foi tranquilo?

Beatriz: A vontade de criar um cosplay surgiu no final de 2012, mas fui adiando por vários motivos. Não queria arriscar algo sem antes saber como realmente funcionavam as coisas, sabe? Sem falar que eu pensava em como minha família e amigos iriam reagir quando eu contasse para eles sobre isso. No começo de 2015, depois de entender melhor sobre o assunto, decidi escolher uma das personagens que eu mais gostava e “entrar nesse mundo”. Meu primeiro cosplay decidi fazer uns 20 dias antes do evento e apesar da correria com a roupa, pra mim, a única dificuldade nessa vez foi com o cabelo, tive que descolorir ele 3 vezes em um dia só, porque estava difícil chegar na cor base pra pintar de azul, já que eu ainda não tinha comprado uma peruca.

Pelo que conheço de algumas pessoas que também já criaram Cosplays é que rola sempre aquela insegurança, do Cosplay ficar o mais fiel possível do personagem principalmente quando se trata do primeiro Cosplay. O teu primeiro Cosplay atingiu todas as suas expectativas? Ou você acha que ficou faltando algo? Se a resposta for sim, você tem planos em aperfeiçoá-lo?

Beatriz: Na época a única coisa que eu não tinha gostado muito foi a questão de eu usar uma bota de cano baixo, sendo que a personagem usa uma que fica acima do joelho, mas já comprei uma bota mais adequada pra ela e agora estou 100% satisfeita. Pra um primeiro cosplay, eu fiquei encantada com tudo assim que o vesti no evento, mesmo sendo uma versão simples. Gostei muito de como a roupa e o cabelo ficou em mim.

Quantos Cosplays você já fez e quais foram? Tem algum que você considera “o predileto”?

Beatriz: Até o momento só fiz dois, da mesma personagem, porém versões diferentes. Ambos são da Juvia, do anime/mangá Fairy Tail. O meu predileto é a versão do ano x792 (arco da Avatar/Império Alvarez). Vi uma foto dela que tinha “vazado” na internet e fiquei com uma vontade enorme de fazer. Era pra ter sido meu primeiro cosplay, mas como a roupa era mais detalhada e eu não sabia se a personagem realmente a usaria no mangá (queria mais detalhes da roupa e eu só teria noção deles se ela a usasse), adiei um pouco. Pra minha sorte (já que sou muito ansiosa), 3 meses depois começaram a lançar os capítulos em que personagem estava usando ela, daí decidi que estava na hora de fazê-lo.

Tem algum personagem em especial que você gostaria de ter feito Cosplay porém por algum motivo ainda não o fez? Se a resposta for sim, porque ainda não o fez?

Beatriz: A Yurippe de Angel Beats!, inicialmente enrolei porque minha mãe não foi muito com a cara da personagem, já que ela usa armas e tem um comportamento meio agressivo as vezes, então nem arrisquei comentar sobre esse projeto. Sem falar na questão das lentes… pra quem tem miopia é meio difícil. Não acho que não usar lentes vá diminuir a qualidade, porém sou meio fresca, perco um pouco a vontade de fazer o cosplay sem elas. Mas estou vendo um jeito de resolver isso.

Como falei mais acima, a produção de um Cosplay necessita de toda uma atenção especial, afinal não é nada fácil atingir o ponto ideal e criar um Cosplay o mais fiel possível do personagem. Para você qual é a maior dificuldade em criar um Cosplay? Roupa? Acessórios?

Beatriz: Ao meu ver depende do caso, se a roupa tiver muitos detalhes, o tamanho do acessório, qual tipo de acessório é, que materiais a pessoa quer usar, se é você ou alguém que vai fazer, achar um cosmaker bom e confiável… varia bastante. Sem falar que as vezes partes do cosplay que são importadas não chegam a tempo do evento e por aí vai. Cada pessoa tem a sua dificuldade. No meu caso, eu diria que a dificuldade é conseguir as lentes adequadas e fazer alguns acessórios.

Você costuma achar os itens com facilidade na sua cidade, ou você acaba precisando encomendá-los pela internet? Tem alguma dica a dar para quem está começando e certamente terá dificuldade para achar esse tipo de acessórios?

Beatriz: Aqui na minha cidade sei que tem algumas pessoas que vendem itens para cosplay, mas elas também encomendam da internet. A diferença é que essas pessoas têm produtos a pronta entrega, mas nem sempre tem variedade. Eu prefiro encomendar produtos pelo aliexpress, apesar da demora e risco de ser taxada aqui no Brasil, sai bem mais barato (as vezes mesmo com a taxa) do que comprar produtos que já estão aqui no país. Mas em caso de emergência, eu iria recorrer as lojinhas de facebook que tem nos grupos de venda cosplay (ainda mais no caso de lentes, se eu não fosse míope compraria delas). Minha dica é pesquisar bem antes de comprar… preços, quanto tempo vai demorar pro produto chegar, lojas de confiança –tanto no aliexpress quanto as de facebook/grupo de vendas cosplay-, qualidade do produto, etc. Por fim, ter muita paciência.

Você acha que atualmente o número de Cosplays realmente comprometidos tem aumentado ou tem diminuído? Afinal as gerações estão mudando e os interesses são outros, você acha também que os eventos de Comics e Cultura Japonesa tem colaborado com esse tipo de prática ou o espaço para Cosplayers tem diminuído?

Beatriz: Acho que andou diminuindo um pouco… o pessoal vai crescendo e meio que deixando o cosplay de lado, e a nova geração anda mais focada em youtubers do que em cosplay. Também tem a questão de tudo estar muito caro, infelizmente. Tem eventos que colaboram e outros nem tanto, depende da organização do próprio evento. Em alguns temos que pagar pra beber água e guardarmos nossas coisas, sendo que ficamos horas lá e muitas vezes passando calor, acho que pelo menos isso (além do espaço para se trocar), a organização poderia deixar “free” pros cosplayers.  

Cite cinco coisas que você ache fundamental para se criar um Cosplay de qualidade:

Beatriz: Organização, paciência, dedicação,  dinheiro e… me escapou a quinta coisa, então vamos colocar paciência novamente, pois precisa de muita (risos).

Para você, o que é ser Cosplayer? Que tipo de dica você dá para quem tem interesse em criar um Cosplay?

Beatriz: Ser cosplayer é algo encantador. Posso usar roupas que não usaria no dia-a-dia, conversar com pessoas que gostam das mesmas coisas/do mesmo personagem que eu, é algo que gosto muito. Uma dica é: faça cosplay de um personagem que goste e ignore a opinião alheia, já que hoje em dia muitas pessoas acabam não iniciando um projeto por causa de pessoas que criticam o cosplayer por não ter a mesma cor de pele/peso/altura do personagem. E uma segunda dica seria se organizar bem antes da data em que deseja usar o cosplay.

E esse foi o Quest com a Beatriz Fischer, gostaram? Alguém aqui já participou de algum evento usando um cosplay ou sente vontade de fazer isso futuramente? Deixe seu comentário sobre o assunto, comente conosco!

Texto escrito por: Eduardo Mateus.

Anúncios

7 comentários sobre “Cosplay: a arte de interpretar personagens na vida real.

  1. Kelen Vasconcelos disse:

    Olá Eduardo!
    Curti bastante seu blog, tem muita, muita coisa legal 😉
    Amoooo animes e já estou separando alguns para fazer post no meu blog, essa categoria já existe lá, mas até agora postei apenas uma. Pretendo mudar logo isso.
    O post sobre coslpay foi super inovador. É difícil, infelizmente, muitas pessoas levarem isso a sério, mas é arte e como toda arte deve ser estimulada e respeitada.
    Amei a entrevista.
    Bjos
    https://kelenvasconcelos.blogspot.com.br/

    Curtido por 1 pessoa

    • somaisumaleatorio disse:

      Olá Kalen!
      Fico feliz de verdade que tenha gostado do blog, por ele ser bastante recente é muito importante ver que temos leitores que gostam do conteúdo que postamos, ainda mais leitores como você que já tem um tempo como blogueira (dei uma passada no seu blog rs).
      Estive olhando seu blog e vi que tem muita coisa legal também, como muitos post’s sobre doramas. Que são muito legais e eu mesmo já assisti alguns. Já sobre os animes aconselho que tente sim escrever sobre eles, tem muitos animes legais com histórias interessantes para serem analisadas! De qualquer modo se precisar de indicações basta falar, estamos aqui pra isso.
      Também acho que é necessário todo um processo de aceitação por parte da sociedade em perceber que é apenas uma pratica como qualquer outra. Admiro muito pessoas que fazem cosplay, que conseguem se dedicar ao projeto que é a construção de um cosplay, afinal não é fácil exige bastante dedicação.
      Bom fico feliz que tenha gostado da entrevista, sinta-se a vontade em voltar sempre e continuar acompanhando nosso blog.
      Apesar de não poder segui-la por sua plataforma ser blogger, estarei sempre de olho nas atualizações do seu blog (já favoritei aqui).

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s