Cinco animes com protagonistas mulheres que você realmente precisa conhecer.

Olá pessoal! no assunto de hoje, vou tratar de um assunto que muitos quando ouvem/leem, logo torcem o nariz quando se trata de anime Shoujo/Mahou Shoujo. Essa classificação de anime/mangá, geralmente tem como alvo o público feminino, mas tem um monte de marmanjo -como eu-, que curte um e outro por ser diferente, por trazer mulheres fortes e decididas, conter histórias que as vezes te fazem entrar em parafuso de tão complexas, te envolvendo na trama e em alguns casos te arrancar risadas ou até mesmo algumas lágrimas. Depois desse post, você não vai encarar mais o gênero como “anime bobinho” ou “anime de menina”.

Antes de iniciar, vou deixar uma pequena explicação sobre a temática para quem não conhece o gênero.

SHOUJO: é um tipo de mangá comercializado para um público feminino, normalmente entre as idades de 12 e 18 anos. O mangá shoujo abrange muitos assuntos em uma variedade de estilos narrativos e gráficos, desde dramas históricos a ficção científica, muitas vezes com um forte foco em relacionamentos românticos e emoções humanas.

MAHOU SHOUJO: é um sub-gênero de anime e mangá shoujo e um tipo de personagem feminina jovem com poderes mágicos. As histórias mais famosas de mahou shoujo apresentam jovens meninas com capacidades sobre-humanas e que são forçadas a lutar contra o mal.

Vamos ver agora cinco Shoujos/Mahou shoujos com garotas fortes e que você DEVE assistir como fã de animação japonesa.

5. Versailles no Bara

Gênero: Histórico, drama, romance, tragédia.

Autora: Riyoko Ikeda.

Publicação original: 1972 – 1973.

Produção: Studio Tokyo Shinsha.

Exibição original: 10 de Outubro de 1979 – 3 de Setembro de 1980.

Temporadas: 1.

Número de episódios: 40.

Sinopse:

A história de Versailles no Bara se passa no final do século XVIII, na França. Oscar é uma jovem garota criada como rapaz pelo seu pai, devido ao fato de ter tido mais uma filha, seu pai em um surto, resolveu criá-la como um homem para herdar as terras da família e a posição dentro da corte francesa. A educação militar que recebe lhe permitiu se tornar capitã da guarda real, encarregada da proteção da jovem Maria Antonieta. Ao seu lado, Oscar tem André, seu amigo de infância, secretamente apaixonado por ela. Mais Tarde, devido a um amor não correspondido, Oscar decide sair da Guarda Real e Maria Antonieta a coloca na Guarda Francesa. Juntos, terão de enfrentar os primeiros distúrbios que anunciam a Revolução Francesa.

Comentário:

Eu fiquei muito surpreso com o desenrolar da história desse anime. Eu comecei vendo por recomendação, mas a cada episódio eu ficava cada vez mais intrigado com a história. É um clássico do universo Shoujo, feito na década de 70, mas em contra partida, super a frente do seu tempo, onde conta com uma gama de detalhes, acontecimentos da Revolução Francesa, anexando uma protagonista inédita a uma trama histórica e ainda consegue alinhar tudo com uma grande perfeição de detalhes. Eu imagino o quanto a autora pesquisou para desenvolver o mangá, já que diversos fatos são descritos como se ela realmente tivesse vivenciado aqueles momentos. A série possui personagens carismáticos, combates de espada, guerra, uma trama envolvente, que a princípio dá a entender que a história vai resumir somente ao palácio, mas ela se expande de uma forma que te faz querer avançar cada vez mais pra ver o desfecho da trama. Também é notável que Shingo Araki, o desenhista do Saint Seiya clássico, tinha o mesmo traço desde essa época.

4. Mahou Shoujo Lyrical Nanoha

Gênero: Mahou Shoujo, ação, magia, drama, ficção científica.

Autor: Masaki Tsuzuki.

Publicação original: 2005 – atualmente.

Produção: Seven Arcs.

Exibição original: 2004 (1 temp.), 2005 (2 temp.), 2007 (3 temp.) e 2015 (4 temp.)

Temporadas: 4

Filmes: 2 (2010 – filme 1 e 2012 – filme 02)

Número de episódios: 64.

Sinopse:

Yuuno Scrya é um mago de um planeta distante que tenta consertar o problema que começou quando as Jewel Seeds foram acidentalmente espalhadas ao redor do mundo. Numa tentativa falha de selar uma seed propriamente, ele vaga pela Terra na forma de um furão. No entanto, sua batalha não acabará até que ele alcance a Terra e ele precisará que alguém sele as seeds para ele. Takamachi Nanoha ouve seu chamado telepático por ajuda e vai ao seu encontro para ajudá-lo. Quando lhe é dado uma pérola mágica conhecida como Raising Heart ela é capaz de se transformar na Magical Girl Lyrical. Para ajudar Yuuno ela precisará selar as 21 Jewel Seeds, mas Fate irá interferir para impedir que Nanoha realize seu objetivo.

Comentário:

A sinopse apresentada acima é da primeira temporada do anime. Atualmente, dividido em 4 temporadas: Mahou Shoujo Lyrical Nanoha, Mahou Shoujo Lyrical Nanoha A’S, Mahou Shoujo Lyrical Nanoha StrikerS e Mahou Shoujo Lyrical Nanoha ViVid e dois filmes, recontando os dois primeiros arcos da série com muita perfeição, chegando a ficar melhor que as temporadas de origem. Esse anime é muito, mas muito bom, não só em termo de combate, mas também em história, desenvolvimento de personagem e crescimento psicológico. É interessante pois na primeira fase, a personagem principal está com nove anos de idade e na atual fase do mangá, ela está com 25 anos. Nanoha é uma franquia extremamente popular e muito lucrativa no Japão, que abrange mídias diversificadas, desde a animação, até Light Novel, figures e afins. É uma série atípica e muito famosa pelas grandes cenas combates, mas sem perder os elementos do Mahou Shoujo em si.

3. Mahou Shoujo Madoka Magica

Gênero: Mahou Shoujo, ação, magia, horror, psicológico, drama.

Autor: Magica Quartet.

Publicação original: 2011 – atualmente.

Produção: Shaft.

Exibição original: 06 de Janeiro de 2011 – 21 de Abril de 2011.

Temporadas: 1.

Filmes: 3.

Número de episódios: 12.

Sinopse:

A história é sobre Kaname Madoka, uma estudante normal do segundo ano de ginásio de 14 anos que vive uma vida normal, até um estranho encontro acontecer. Ela não sabe se o encontro é coincidência ou se é apenas o destino, mas duas coisas são certas: esse é o momento em que seu destino irá mudar, e também o momento em que começa a história de uma garota mágica.

Comentário:

Esse é outro daquele tipo de anime/mangá que te instiga a pesquisar, a procurar informações, pois ele traz um conceito completamente novo do tradicional no gênero. Ele desconstrói de maneira impecável todo o conceito envolvendo garotas mágicas, sendo considerada uma série extremamente inovadora. Neste universo completamente diferente das “flores e doces” dos shoujos mais comuns, a coisa se inverte de uma maneira complexa. Este anime é bastante obscuro, contendo altos conflitos psicológicos das personagens e uma história muito forte, daquelas que te bota pra pensar por semanas até -risos-.

2. Shoujo Kakumei Utena

Gênero: Mahou Shoujo, shoujo, drama, romance, psicológico, fantasia.

Autora: Chiho Saito.

Publicação original: 1996 – 1997.

Produção: J.C. Staff.

Exibição original: 02 de Abril de 1997 – 24 de Dezembro de 1997.

Temporadas: 1 (dividido em quatro fases).

Filmes: 1.

Número de episódios: 39.

Sinopse:

Tenjou Utena ficou órfã aos 6 anos e queria morrer, mas um príncipe a salva e lhe diz para que se mantenha sempre nobre, a fim de que ela possa encontrá-lo. Dá-lhe um anel com o selo da rosa e desaparece. Utena decide virar o sonho de qualquer garoto e garota: um príncipe. No colégio, ela veste um uniforme masculino estilizado e se comporta de forma corajosa e galante.

Comentário:

Esse é outro exemplo de anime com uma história completamente desconstruída. Utena foi baseado na versão francesa de Versailles no Bara -falado acima-, clássico dos anos 70, abordando temas muito sérios, como homossexualidade, complexo de inferioridade e ciúmes extremamente doentios, e até relações abusivas entre irmãos. Eu recomendo muito que vocês leiam o mangá, ao invés de começar pelo anime. Como um anime dos anos 90, Utena tem fortes alterações de roteiro. A animação e o filme contam com uma história e o mangá principal e o do filme, contam com outra história, que ficou infinitamente melhor trabalhado no encadernado do que na animação, sem contar os muitos fillers e a infantilização na história. No filme rola um fanservicezinho, mas faz parte. O mangá do filme é um tanto diferente também e vale muito a pena ser lido. A série possui 4 mídias diferentes: anime, filme, mangá e mangá do filme, mas cada um conta um ponto de vista diferente da história, que não conversam entre si, sendo pontos de vista isolados.

1. Bishoujo Senshi Sailor Moon

Gênero: Mahou Shoujo, drama, romance, fantasia, mitologia.

Autora: Naoko Takeuchi.

Publicação original: 1991 – 1997.

Produção: J.C. Staff.

Exibição original: 07 de Março de 1992 – 08 de Fevereiro de 1997 (clássico) e 05 de Julho de 2014 – atualmente (Crystal).

Temporadas: 5 (clássico) e atualmente 3 (Crystal).

Filmes: 3 (clássico).

Número de episódios: 200 (clássico). 39 (Crystal atualmente)

Sinopse:

Sailor Moon conta a história de Usagi Tsukino, uma garota normal e inocente de 14 anos que um dia encontra Luna, uma gata falante que revela a identidade de Usagi como “Sailor Moon”, uma guerreira mágica destinada a salvar a terra das forças do mal. Luna, então, dá a ela tarefas, como a de encontrar a Princesa da Lua e a de proteger a terra de diversos antagonistas, começando com o Dark Kingdom (Reino Sombrio), que há um tempo destruiu o Reino da Lua, o Silver Millenium (Milênio de Prata).

Comentário:

Sailor Moon é um anime famoso no mundo inteiro e muito conhecido por revolucionar o gênero Mahou Shoujo, principalmente por apresentar personagens que não são necessariamente bruxas ou feiticeiras para conjurar magia, mas sim, meninas “normais”. Também traz fortes influências das séries de Sentai, por ter heróis coloridos e cada um com um poder. Bom, eu sou muito suspeito pra falar de Sailor Moon, principalmente que é um dos meus títulos de mahou shoujos favoritos. Eu recomendo muito que leiam o mangá, pois ele tem uma história mais densa do que o anime em si. Esse reboot que a série sofreu, entitulado de Sailor Moon Crystal, está seguindo bem a risca o encadernado, então vale muito a pena conferir sim. Sailor Moon envolve muitos aspectos, que vão desde a mitologia de diversas culturas – grega, romana, japonesa, européia e afins -, até movimentos artísticos e influências de diversas mídias. Foi um marco para o começo de uma nova era no Shoujo, que hoje, o mercado é dominado por mulheres mangakás, apesar do gênero ser criado pelo ilustre Ozamu Tezuka, mais conhecido por criar o anime/mangá Astro Boy. Em breve, eu prometo fazer uma resenha sobre este anime em particular.

Bom, por enquanto é isso aí gente. Eu espero que tenham gostado da matéria. Em breve, estarei elaborando uma parte dois, abrangendo mais alguns títulos diferenciados. Deixe seu comentário sobre o assunto, comente conosco! E você? conhece algum anime/mangá com mulheres fortes?

Texto escrito por: Lucas Souza.

Anúncios

15 comentários sobre “Cinco animes com protagonistas mulheres que você realmente precisa conhecer.

  1. SilvanaSchuck disse:

    O filme de Utena tem mangá? E eu achando que já tinha visto tudo… O meu Mahou Shoujo favorito é Princess Tutu. Apesar da premissa bobinha de poderes baseados em balé, a história é bem sólida e os personagens são bem explorados. Em se falando de romance, Please Save my Earth, Karekano e Fruits Basket são alguns muito bons. Pena que a versão em anime deles sofre daquele problema de “continua no mangá”.

    Curtido por 1 pessoa

    • somaisumaleatorio disse:

      Boa noite, Silvana!
      Sim, o filme tem um mangá sim. As histórias em Utena são muito diferentes nas mídias. O mangá, mangá do filme, o anime e o filme, cada um conta uma história diferente, cada uma com um ponto de vista a parte. Eu conheço Princess Tutu e Fruits Basket, que é um que eu tenho muito que ver, rs.
      Essa coisa de continuar no mangá é difícil. As vezes isso acaba deixando a gente muito frustrado com determinada série por causa disso, mas é por que as vezes emparelha com o mangá e eles acabam terminando o anime. É chato, maaas, acontece muito.

      Curtir

    • somaisumaleatorio disse:

      Opa, fico feliz que gosta de alguns dos animes citados! e muito obrigado por compartilhar sua opinião conosco. Procurei trazer animes que tivessem uma proposta mais desconstruída, que quebrasse o conceito de “infantil” e “imaturo”. Existem muitas séries fantásticas com protagonistas mulheres.

      Curtir

  2. etiojunior disse:

    Gostei do post! Deu vontade de assistir a todos os títulos!😁😁😁
    Dos listados eu só conheço Sailor Moon. Assisti qnd ainda era aborrecente nos primórdios da Rede Manchete. Mas como nunca passou tudo por lá, acredito que só tenha visto as duas primeiras temporadas.
    Depois quando comecei a procurar as demais temporadas me deparei com uma infinidade de fillers, o que me desmotivou a continuar vendo a série.
    Quando estreou o reboot (Sailor Moon Cristal) corri para conferir e estou acompanhando semanalmente até hoje!😊
    Estou achando a nova versão muito melhor que a original, e isso me levou a ler os mangás de SM! Achei os traços de Naoko Takeuchi muito simples, principalmente em se tratando dos planos de fundo e dos “efeitos especiais” das transformações. Mas é um bom título.
    Lendo o mangá (o qual acabei abandonando logo que apareceram as Sailors Netuno e Uranus) notei que mesmo Sailor Moon Cristal possui algumas pequenas alterações de enredo. Mas são muuuuito mais sutis e não prejudicam a trama!

    Nosso blog tb possui uma pequena seção de animes (o site está muito no início), qnd tiver um tempo, confira lá!
    guloseimasnerds.wordpress.com

    😉

    Curtido por 1 pessoa

  3. somaisumaleatorio disse:

    Olá! tudo bem Etio? muito obrigado por comentar e fico muito feliz que tenha gostado do post!
    Sim, eu também tive o primeiro contato com o anime na época da Manchete, mas eu era muito novinho, então lembro de pouca coisa. O contato maior que tive, foi no programa da Eliana, que na época estava na Record, no começo dos anos 2000 e em seguida, no Cartoon Network.
    Infelizmente o anime clássico sofreu com uma extrema infantilização da história, mas é muito bom ver pelo lado cômico, garantem ótimas risadas. Na época, o anime estava somente dois meses a atrás da publicação original do mangá, devido a isso, eles encheram o anime de fillers enquanto a autora desenhava e roteirizava o encadernado.
    Os mangás possuem uma história ótima, mas requer bastante atenção a alguns detalhes, -especialmente nas últimas duas fases- justamente pelo motivo acima, já que ela foi apressada a correr com a história devido aos prazos de entrega e também como consequência a base para a história do anime clássico. Consequentemente calhou de ter alguns pequenos furos de roteiro, mas nada que uma boa pesquisa não explique certas brechas na história.
    Existe esse porém dos planos de fundo e cenários, mas é perceptível uma mudança absurda de traço e estilo, conforme as fases no mangá vão passando. Quando chega no último arco da história, o traço dela está muito bonito e muito mais consistente do que quando ela começou. Eu super recomendo a leitura do mangá, pois ele tem um roteiro mais denso, uma história mais bem construída e como agora a autora está com os direitos do seu trabalho, Sailor Moon Crystal está seguindo fielmente o que ela deixou no encadernado, nada mais justo até, já que este é o trabalho da vida dela. É gratificante ver ela ter os direitos do seu trabalho e poder administrá-lo da maneira que gostaria que fosse feito originalmente, chega a ser inspirador a novos desenhistas. Em breve eu mesmo farei uma resenha completa sobre Sailor Moon.

    Sobre Guerreiras Mágicas, eu em breve estarei trazendo uma parte dois desta matéria com mais alguns títulos e este é um clássico maravilhoso que sem dúvidas não vai faltar a lista! Eu também concordo que a história do anime mudou bastante coisa, hahahaha.
    Só que os fillers de GMR foram escritos pelo próprio CLAMP, o que é mais hilário disso tudo, rs.

    Opa, pode deixar que estarei acompanhando seus posts também! e mais uma vez, muito obrigado por compartilhar conosco a sua opinião!

    Curtido por 1 pessoa

    • somaisumaleatorio disse:

      Olá Kelen, tudo bem? muito obrigado pelo comentário e por gostar da matéria, fico muito feliz!
      Sailor Moon está num momento ótimo atualmente com Sailor Moon Crystal. O anime está sendo transmitido na tv no Japão e via streaming pelo Crunchyroll de forma legalizada. Tem todos os episódios da nova fase por lá.

      Meus parabéns pelo seu blog também! possui conteúdos diversificados e muito interessantes.

      Curtir

  4. Sagitarius disse:

    Desses já vi Madoka e Sailor Moon. Já ouvi falr de Utena e Versalhes, mas nunca os assisti.

    Adoro Madoka, é meu segundo mahou shoujo preferido. Sailor Moon fica em terceiro lugar, pois apesar de ser bom no geral, suas 5 fases alternam muito entre boas, médias e ótimas.

    O meu preferido, que senti falta na lista, é Sakura Card Captor. Adoro Sakura, e espero que esse novo anime que vai sair seja um remake fiel ao mangá (com, talvez, alguns ajustes pra se adequar ao “politicamente correto”)

    Curtido por 1 pessoa

    • somaisumaleatorio disse:

      Ola! obrigado por gostar da matéria e pelo comentário.
      Bom, eu também gosto muito de Madoka e Sailor Moon, são ótimos e inovadores títulos.
      No caso do clássico é bem por aí mesmo. O mangá de Sailor Moon traz uma abordagem completamente diferente da sua primeira animação. Atualmente, Sailor Moon Crystal tem reproduzido muito bem o encadernado.

      Ora, não desanime! ainda vai sair a parte dois do artigo, provavelmente terá Sakura na matéria.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s